EXPIAÇÃO LIMITADA (Semana #3)




Quarto sermão da série Calvinismo, pregado pelo pastor Jackson Jacques, na igreja Vintage180, dia 01 de outubro de 2017.

Download PDF

EXPIAÇÃO LIMITADA (Semana #3)

Bom dia! Pessoal, meu nome é Jackson sou um dos pastores dessa igreja. E é uma alegria muito grande estar com vocês aqui.

Vocês me conhecem eu sou um cara muito bem-humorado, procuro levar as coisas de uma forma mais tranquila, não colocar tanto peso nas coisas. Mas não tem como a começar o sermão de hoje com uma piada ou uma brincadeira, diante das coisas que têm acontecido no Brasil.

Eu estou muito indignado. O diabo está tomando conta do Brasil. É isso aí! Fazemos marcha para Jesus, grita na rua. E o diabo – e eu estou falando isso não como um alienado louco, não como um ultra pentecostal – o diabo está tomando conta das instituições do nosso país.

PRESTE ATENÇÃO AQUI!!!

É inadmissível que cidadãos brasileiros -você e eu-, paguemos nossos impostos nesse país que amamos, nesse país pelo qual nós oramos, e o nosso dinheiro seja revertido em bestialidade em pedofilia no nosso país.

Deus irá julgar a nossa nação! Deus irá julgar o nosso país!

Nessa semana nós vimos aquele imundo, lixo, um cara nu, pelado com crianças, meninas ao redor dele. Parte da mídia brasileira apoiando isso! E parte de pastores brasileiros apoiando esse lixo! Dentre os quais muitos que estão aliados com a cartilha de esquerda. Note que o evangelho já não confronta mais a cartilha política, mas a cartilha política dita o que as pessoas estão fazendo. Isto é inadmissível! Dentre os quais os figurões da teologia da Missão Integral do nosso país, um deles Ariovaldo Ramos, um lixo, um imundo.

E eu vi ontem, estava dando os últimos retoques no sermão, e enquanto não o olho e falo: – “Ah! Tá bom!” Não paro de mexer, às vezes é curto, as vezes demora um tempão, faltava pouquinha coisa, mas eu fui ate às três horas da manhã ontem. Fico às vezes uma hora trabalhando, uma hora e pouco, às vezes entro um pouquinho na Facebook, pra desopilar um pouco, levanto tomo uma água. Então, resolvi entrar no Facebook e lembrei do Yago falando:

– Nenhum pastor de esquerda criticou o que aconteceu.

Então entrei no perfil desses caras e os vejo lá aplaudindo. Tinha um imbecil, concordando com oque aconteceu, o dono do post é um deputado, lixo, imundo de esquerda e -pasme- pastor! Tinha um retardado de um youtuber “cristão” aplaudindo e o cara botou embaixo assim:

– Precisamos ampliar o debate e o elevar a outro patamar.

Note, eu sou um fundamentalista retrógrado, porque quero a morte desse cara! Esse que ficou nu com as crianças deveria ser executado pelo Estado brasileiro. Não por você e não por mim, não que falte vontade! Ah, mas isso é uma seita, não, não é não, eu sei bem o que estou falando aqui.

A impressão que dá é que você nunca pode se irritar como que está acontecendo. Imagine o seguinte:

– Chegando à casa do Maicon, e lá está ele sentado e a casa esta pegando. Eu não posso sacudi-lo, não posso pegar as crianças, desesperado pelos cabelos, porque elas vão morrer! Nunca, nunca para o Estado brasileiro, para estes imundos, nunca é uma coisa urgente!

Então eu pergunto:

– O que mais precisa acontecer dentro de um museu? Alguém matar uma pessoa e dizer que isso é arte? O que mais tem que acontecer no Brasil, para as pessoas acordarem e perceber que isso é urgente?

Fico louco com isso! E se algum dia alguém disser para vocês que o pastor de vocês cagou um cara a pau quando o pegou pelado junto de crianças. Saibam que isto é verdade. Não vão pensar que é mentira! Não vão pensar que estão tramando contra o Jackson, estão falando a verdade! E o meu questionamento aos homens de verdade, o que precisaria ter acontecido ali? Haviam homens na plateia e nenhum se indignou! É a mesma coisa que dizer:

– Olha cara. Estava uma mulher ali, e então havia trinta caras estuprando-a.

Me indigno, pois nenhum dos trinta olhou e disse:

– Espera um pouco, isso não pode! Uma mulher não pode ser estuprada!

Alguém deveria ter cagado aquele cara a pau ali em nome de Jesus. Vou dizer uma coisa, irmãos:

– Nós precisamos de homens que honrem suas bolas! Deus deu duas bolas para você, não para você ser covarde diante da nação! – Eles estão entrando em nossas casas, estão pautando o que nossas crianças devem aprender, estão pautando como deve ser a família, de acordo com os seus próprios gostos e nós estamos inertes, parados. Será que temos que levar o debate a outro patamar? Não! Está pegando fogo na casa do Maicon, mas é o seguinte, vamos elevar o debate a outro patamar.

O Everton tá tendo um ataque cardíaco, mas se eu desfibrilar ele vai queimar o pelinho do peito dele, vai chamuscar, vai ficar feio. Vocês entendem o como é desproporcional?! Quando o cara tá morrendo tem que ser desfibrilado. A massagem cardíaca, para quem conhece e já fez primeiros socorros sabe, tem que quebrar a costela. Se não quebrar a costela o cara não vive, porque tem que massagear manualmente o coração da pessoa.

O país esta morrendo, não tem tempo para essa coisa de “levar o debate a outro patamar”. Esses isentões do inferno! Outra coisa que me irrita muito é essa pegada de “Se fizer com os meus”. Quer dizer que tu só cuida da tua família?! Não, negão! Se fizer pro teu filho nós temos que estar juntos, rapaz! Se fizer pra tua mulher, nós temos que estar juntos! Nós somos uma igreja! Um corpo! Eu digo aqui aos homens para se posicionar!

Você conversaria com Hitler? Sentaria com ele? Eu falei isso aqui na terça-feira. A gente sentaria com Hitler?

Jackson: – Vamos sentar aqui, vamos conversar, fale Hitler”.

Hitler: – “Bem, eu quero matar judeus”.

Ah, vamos debater porque “são opiniões”. COMO É QUE É? Como é que é? Se um cara fala para mim: “ eu quero matar negros”, tem que virar a mesa, tem que gritar.

Como que umas pessoas dizem que são a favor do aborto, ou seja, a favor de matar crianças. Como podemos ser a favor de um cara ficar nu com a pingola balançando na frente de uma criança? Vamos ficar olhando?! Isso NÃO é um debate! “Vamos elevar o debate a outro patamar”. Pera um pouquinho cara, pera um pouquinho. Chegou a hora. Acabou! Acabou! O próximo passo é começar a trazer pseudo-intelectuais e debater pedofilia. É o próximo passo! E a igreja precisa barrar isso aqui no nosso país. Nós precisamos barrar isso!

O evangelho está chamando a nação ao arrependimento, nós precisamos chamar este povo ao arrependimento! Fale agora na segunda-feira para o teu colega de trabalho:

– Deus está chamando o Brasil ao arrependimento.

Mas aí você vai dizer que o problema não é seu, sim do país. Lembra-se de Nínive, Deus vai destruir isso aqui! Não é brincadeira. Nós estamos numa série sobre o calvinismo, e hoje eu vou falar sobre a Expiação Limitada. Esse assunto causa calafrios em muitas pessoas. O calvinismo já cheira um “bicho de sete cabeças”, ainda mais aqui, no ponto mais destacado que é a Expiação Limitada. Então este é o ponto que as pessoas ficam mais apavoradas!

Causa pavor nas pessoas. Todos se perguntam:

– O que é isso? É uma ideia nova?

Talvez para o nosso tempo seja, mas a Igreja pensou assim por muito tempo, majoritariamente. Então com Expiação Limitada, em resumo, nós estamos dizendo: Que Jesus não morreu na cruz por todas as pessoas do mundo! Isso é forte e chocante.

Dizem: – Isso, não, não, não! Como assim Jackson?

Calma, relaxa. Estamos que Jesus não morreu na cruz por todo mundo. Jesus morreu na cruz pela Igreja! Somente pela Igreja, pelos eleitos, ou seja, Somos totalmente depravados, Deus elege pessoas, porque senão, ninguém se salvaria. Porque ninguém merece a salvação, esses pelos quais o Pai elegeu, o Filho veio e morreu em uma cruz a dois mil anos atrás. E tão somente por esses, e por mais ninguém!

Bom, primeiro, eu quero dizer para vocês, o que nós não estamos dizendo com a expressão Expiação Limitada.

Primeiro: Não estamos dizendo que a morte de Jesus tem um valor limitado! A morte de Jesus não tem um valor fraco, pequeno. Eu não estou dizendo isso! A morte de Jesus não tem um valor minguado – Um valor “Tang”. Isso é pra você que no dia que chegou uma visita na sua casa e você diluiu aquilo em dois litros d’água. Tu já fez isso né? Ou um Ki Suco. Quem era guri na década de 90 e jogou futebol ,na minha rua as vezes a gente jogava futebol valendo um Ki Suco. Anilina, mancha o dente por trinta anos –. Então, não é isso! o sangue de Jesus, a morte de Jesus não tem um valor fraco. Está bem?! Não tem um valor limitado. O valor da morte de Jesus é ILIMITADO! Deixando claro isso.

Segundo: Nós não estamos dizendo que somente os cristãos são beneficiados com a morte de Jesus. Não! Eu dou um exemplo: Nós estamos num país majoritariamente cristão. Temos protestantes, que são 30% da nação. O outro restante católico. Praticantes ou não. Mas, de certa forma, o país foi abençoado pela cosmovisão, pela visão de mundo do cristianismo. Então a morte de Jesus, ela abençoa até aqueles que não abraçam, de fato, a fé. Tirando os cristãos brasileiros, nós temos não cristãos, ateus, e estes caras são abençoados pela morte de Jesus, por viverem num país onde nós temos um resquício de valores cristãos. Por isso que nos indignamos com as coisas que estão acontecendo no nosso Brasil. Por isso que a gritaria aqui é muito grande. E isso é bom, muito bom! Se fosse dizer “Ah! Não aguento mais as pessoas reclamando disso no Facebook”. Não cara, eu não aguento ver o cara pelado diante das crianças! Tu só reclama, fico irritado durante a semana, quando não vejo ninguém se manifestar. “Mas nos temos que andar com o diferente”. Não! Nem sempre. Existe assuntos que devem fazer a gente parar de falar com as pessoas. Existem assuntos que não temos porque tolerar. Por que temos que tolerar esse tipo de coisa? Se pedofilia não é um assunto que te faz perder a amizade, tem algo errado. Imagina só, cara dizendo pra você:

– Eu estou indo aí na sua casa, estuprar a sua mulher, mas oh, a gente é amigo, hein!

Jackson, eu tenho que andar com o diferente! Não, espera um pouquinho! Esse é um assunto para quebra-pau, não falar mais com o familiar. Nunca mais, tá? É para morrer brigado. Existem assuntos que são morrer brigado. Por exemplo:

– “O que aconteceu”? “Meu irmão, defendeu os pedófilos e a gente nunca mais se falou. Ele morreu e eu nunca mais conversei com esse cara”.

– “O meu tio avô, ele defendeu os pedófilos, e a gente nunca mais se falou. Não, não nos falamos nunca mais. Não quero mais falar com ele”.

– “Ah, mas é que depois da morte”. “Não, não, é que ele foi para o inferno. A gente não vai mais se ver, entendeu”?

Mesmo assim o Brasil foi abençoado pela morte de Jesus, por ter uma cosmovisão cristã!

Em terceiro lugar, nós não estamos dizendo que o nome “Expiação Limitada” é legal. Esse nome é muito ruim. O grande problema dos calvinistas são os nomes das doutrinas deles, mas eu estou usando ele porque você vai encontrar isso nos livros, portanto prefiro deixar assim […] Wayne Grudem sugere – John Piper também – “Redenção Particular”. Assim explica melhor o que a doutrina é. Então o que nós estamos dizendo com Expiação Limitada? O que é isso? Eu vou dar três chaves, três explicações desta doutrina:

Em primeiro lugar: O que estamos dizendo com a expressão Expiação Ilimitada, é tão simples, que você vai falar:

– Ah, não, eu vim da minha casa para isso

Eu vou explicar, então tu vai entender. Em primeiro lugar, nós estamos dizendo que Jesus salvou na cruz. Então! (Mateus 1.21. O anjo dizendo: “E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele (Jesus) salvará o seu povo dos seus pecados”. Jesus é salvador dos pecadores, daqueles que foram eleitos pelo Senhor. Na cruz).

Em João 19.30 Jesus diz: “Está consumado”

Isso significa: – está pago, definido, acabado, encerrado. A discussão e o debate, a vitória que a morte tinha, acabaram. Nós cremos que Jesus morreu na cruz e salvou ao morrer na cruz. Nós não cremos que Jesus proporcionou uma “oportunidade de salvação”. Esta é a diferença. Isso é o centro de tudo. Vou lhe perguntar, e isso vai resumir tudo, definir o modo que você crê. A grande pergunta é: O que Jesus fez na cruz?

Ele salvou ou ele proporcionou uma oportunidade de salvação? Tem uma historinha muito fuleira: Um carro foi comprado pra você, o carro está pago lá na concessionária, e tu só precisa ir lá para retirar. ERRADO! A salvação está lá te esperando, mas tu não foste. Então oque Jesus fez na cruz? Ele salvou ou ele proporcionou uma oportunidade de salvação? Defina você aí! Decida você! Alguns vão dizer que Jesus na cruz proporcionou uma oportunidade de salvação. Ok, você pensa isso? Então, você está dizendo que Jesus não salvou? E, difícil afirmar isso, né? Mas confessa, se você acha que Jesus não salvou, você tem que falar: Não, ele não salvou.

A segunda pergunta é pra colocar uma pá de cal, então repete comigo: Jesus não é salvador! Vai negão, fala aí! Fala para nós ouvir! Repete, fala bem alto, canta. Vamos fazer músicas dizendo que Jesus não é Salvador! Porque que a gente canta aqui que Jesus salvou?! Que Jesus Morreu na cruz do calvário?! Ele proporcionou uma oportunidade ou ele de fato salvou?

A expiação, a morte de Jesus precisa ser limitada de uma maneira ou de outra. – Não perca esse argumento- Por exemplo: No slide (aparece uma imagem no telão a imagem de duas pontes: uma muito larga, mas destruída, que não leva ao outro lado. E a outra estreita, mas que alcança o outro lado).

A expiação que é limitada em seus efeitos, como os arminianos creem, Jesus morreu por todos, mas nem todos são salvos. Então é uma ponte larga todo mundo foi alcançado, mas é uma ponte que não vai para o outro lado. Ela é larga, cabe todo mundo. Meu, cabe todo mundo nessa ponte, Jesus é bom demais. Todo mundo foi salvo, mas não foi salvo porque é uma ponte que não larga do outro lado.

Aqui temos uma visão calvinista a visão sobre Jesus ou apóstolos, é limitada, não no efeito, ela é limitada na abrangência. Jesus não morreu por todos, mas todos por quem Ele morreu serão salvos. Então a ponte é estreita, mas leva você ao outro lado. Ou seja, qualquer uma das duas visões crê que a morte de Jesus é limitada. Aquele que diz: “Não, Jesus morreu por todo mundo”! A abrangência da morte de Jesus é grande, mas o efeito da morte é pequeno. Porque não é todo mundo que é salvo. Já os calvinistas dizem que Jesus não morreu por todos, então quer dizer que a abrangência é pequena, mas o efeito é infinito. Porque todos por quem Jesus morreu, serão salvos.

Você tem que decidir. Eu creio que a morte de Jesus, o efeito dela, é ilimitada, mas se o efeito dela é ilimitado, a sua abrangência tem que ser limitada. Creio numa expiação de valor ilimitado. Todos por quem Jesus morreu na cruz serão salvos. Os arminianos na ânsia de colocar todo mundo na bacia da salvação diminuindo o efeito dela.

Eu pergunto para você aqui, nesta manhã: Jesus é um proporcionador de oportunidades ou ele é um SALVADOR? Você tem que decidir quem Jesus é para você. Se você acha que Jesus morreu por todo mundo – a não ser que você seja universalista, no caso de todo mundo ser salvo! – Mas tem um problema, a Bíblia fala que pessoas serão condenadas- logo já deveríamos ter aberto mão dessa visão (Universalismo). Mas se você crê que Jesus morreu por toda a pessoa que existiu na terra, eu peço que você nunca mais chame Jesus de “salvador”, que você nunca mais cante que Jesus é salvador, tragam umas músicas para o Kauê e vamos fazer um culto arminiano. Porque que ninguém canta que ele é um proporcionador de oportunidades onde de fato, não salva. A questão é: Jesus te salvou ou te deu uma chance? Gente, eu pergunto para vocês. Dentro disso ainda:

– Qual das visões exalta mais Jesus? Qual das visões exalta mais a glória de Deus? Quando você o chama de proporcionador de oportunidade ou quando você o chama de Salvador? O que mais revela Jesus? Isto é um choque para você?

O Terceiro ponto do calvinismo, e mais difícil para as mulheres, porque envolve afeto. Pois, de fato as mulheres queriam que Jesus tivesse morrido até pelos coelhos, cavalinhos e gatinhos. É por isso que o Salvador era um homem. Por isso que Deus se fez homem, porque era o foco no que ele tinha que fazer. Não eram várias tarefas, várias coisas.

Jesus é o salvador da igreja! Note que isso exalta Jesus e humilha os homens. Sabe por quê? O ímpio quer ficar lá balançando a pingola dele e dizendo Jesus morreu por mim. “Bah, não fala isso Jackson, isso é feio”. Não seja hipócrita, tu fala esse nome na tua casa. O gaúcho aqui fala tico, é tico. Vai ter gente dizendo pra eu não falar isso, mas eu falo sim: “Tico, tico”… Isso que é o legal de plantar igreja, eu posso falar que quiser! Para fora do estado as pessoas não entendem esse nome. Pensam que é “criança”, igual ao espanhol (niño). A grande questão, Jesus é um Salvador ou é um proporcionador? O cara quer ficar lá de tico, a pingola ou o pênis de fora, no meio das crianças. Mas se tu falar para ele:

– Não, negão, fica tranquilo, só que Jesus não morreu por ti.

Ele vai se indignar. – Como é que é? Como assim? – Jesus não morreu por ti. Spurgeon fazia isso: Um cara uma vez visitou onde ele pregava e em todos os lugares. “Mas Spurgeon não falou do evangelho para ele, então disse: – Reverendo, eu tenho ido a todos os lugares onde o senhor prega e o senhor nunca se dirigiu a mim”. Então Spurgeon disse: – Tu desprezas Deus, já se arrependeu dos teus pecados? –O homem disse que não. Então o reverendo responde:

-Fique tranquilo, porque Deus não está interessado em você.

E o cara pergunta: – Como assim?

Spurgeon responde: – Deus não se interessa em você.

No evangelismo moderno nós colocamos Jesus desesperado pelas pessoas, gritando:

– Por favor, me aceita, me aceita”.

Jesus não está em cima do poço com uma corda, desesperado, querendo salvar as pessoas, impotente. Então se você encontrou um cara no serviço e ele está debochando de Deus. É só dizer:

– Bah, negão, zomba mesmo aí, isso é uma marca de quem Deus não ama. Deus não te ama, Deus te odeia!

A pessoa vai se ofender, porque ela quer zombar de Deus, mas quer ser amada por Deus. Ela quer ser filha de Deus. O nosso foco aqui é exaltar Jesus, e não os homens. O Nosso foco aqui não é trazer glória para os homens. Que os homens se explodam se eles rejeitarem a Deus! Nosso é Jesus. Todos aqueles que Jesus humilha pela palavra de Deus é levantado pela graça. Jesus salva pecadores, Jesus ama pecadores. Em primeiro lugar o que nós estamos dizendo aqui é que Jesus é Salvador. Segundo lugar, é que devemos levar as palavras da Bíblia a sério. A Bíblia usa algumas palavras para a morte de Jesus.

Então vamos lá, só existem três respostas: Jesus não salvou – você tem que dizer isso se você sair daqui e disser: “Eu não concordo com nada do que foi pregado hoje”, não tem problema, Mas nunca mais chame Jesus de Salvador. Jesus não salvou, ele garantiu uma oportunidade de salvação. Número dois, Ele (Jesus) salvou. A morte de Jesus é somente pelos eleitos ou; três, Jesus salvou o mundo todo e não vai existir perdido. Só tem essas três possibilidades, três respostas. Sendo que a última, a gente sabe que não existe, porque a Bíblia fala que haverá pessoas condenadas.

Então, quais são as palavras que a Bíblia utiliza para a morte de Jesus? A primeira palavra é “Redenção”. Você já viu isso na Bíblia? O apóstolo Pedro fala que nós somos redimidos. Vocês cantam isso na igreja há mil anos e nem sabem. É muito legal perguntar as coisas que as pessoas acham que sabem:

– Me fala o que é Redenção? É uma praça? O que é redenção? Redenção quer dizer: – Comprar de volta. Isso mesmo

Exemplo: o penhor de bens, você chega lá na Caixa. – Eu trabalhei numa – Caixa Econômica Federal- nela havia um serviço de penhora. Às pessoas lá chegavam, “quebradas de grana” largavam lá uma joia. Tias com uns colares, uns negócios muito loucos e penhoravam. Tinha o dia de penhora, a Polícia Federal fica lá, “tudo” armado. Era muito legal! Operacional pra caramba! Todo mundo levando joias para a agência, penhoravam os bens. Então, o banco dava uma fração do valor daquela penhora, um valor estipulado. Quando a pessoa tinha dinheiro ela ia lá e resgatava ou, a palavra correta é redimir. A tia redimia a dívida. Ela “compra de novo”. Também é uma palavra usada para escravos na Bíblia, pessoas boas iam levavam dinheiro e resgatavam, redimiam os escravos, compravam os escravos. A Bíblia fala sobre isso em 1Pedro 1.18,19; Gálatas 3.13; Apocalipse 5.9.

Imagina só, eu chego na casa do Maicon então toca meu telefone, um amigo meu foi preso lá em Campo Bom. Eu pego o Maicon e vou “ali” em Campo Bom. Chegando lá, meu pai está preso precisando de fiança. Daí, vou lá e pergunto: “Pô, pai, o que foi que aconteceu”? Ele responde: “Não, é que briguei com um cara”. “Está bem pai. Paguei a fiança aqui, estou indo embora, tchau meu velho” [vou embora] Quando chegamos em casa, o Maicon e eu, a Talita e a Suna perguntam: – “Vocês pagaram a fiança do Gladimir, ele já está em casa?” – “Não, não, ele está preso”.

– “Como assim”? – “Não, eu paguei a fiança, eu o redimi, mas ele está preso ainda”. Isso faz sentido? Não faz, mas é o que muita gente diz que Jesus nos redimiu, mas a pessoa continua no pecado.

Vamos para outra palavra: “Propiciação”. Você sabe o que é propiciação? Significa desviar a ira. A ira vai cair na cabeça do Taillan. Vai cair a ira, Então Jesus propiciou o pecado do Taillan. Romanos 3.25, Jesus é a “propiciação” pelos nossos pecados, ou seja, Jesus desviou a Ira. Se Jesus propiciou o pecado do mundo todo, Jesus tem que desviar a ira de Deus do mundo todo, a ira de Deus não pode cair novamente sobre o pecador. Não pode haver dupla punição. No direito, até vou perguntar para o Júnior: – “Júnior uma pessoa não pode pagar pelo mesmo crime duas vezes”? Ele vai responder que não. É óbvio que ele vai usar uma linguagem complicada até por que ele tem que valorizar o trabalho dele. Assim como teólogo, o advogado usa palavras difíceis para isso. É só pra dizer assim: “Eu trabalho tá”?! Ou seja, não existe dupla punição, ou o pecado é punido em Jesus ou o pecado é punido no pecador. Se Jesus morreu pelo mundo todo, Deus não pode punir o mundo todo porque foi propiciado o pecado do mundo, Jesus desviou a ira. Mas então Deus pune em Jesus e depois pune no pecador? Ou é por propiciação que desvia a ira ou não é.

Vamos para a outra palavra: “Reconciliação”. Quer dizer “unificar”, “estabelecer a paz”. 2Coríntios 5, Paulo vai dizer que nós somos “reconciliados” com Deus. Você só foi reconciliado com Deus se você está em Cristo. Em Romanos 5.10, diz que nos fomos reconciliados com Deus, não estamos mais brigando. Eu te pergunto assim:

-Que reconciliação é essa que as duas partes ainda estão brigando? Então Jesus reconciliou mais ou menos.

Última: “Expiação”. Que também quer dizer “unificar quem estava em desacordo”. Só que a diferença é que olhou o nosso pecado, foi expiado, foi retirado e nós fomos unificados com Deus. Fica claro aqui, que Jesus não veio simplesmente para possibilitar uma salvação. Porque as palavras que são usadas aqui são muito contundentes. Jesus veio para salvar o Seu povo, não para possibilitar uma redenção, não para possibilitar uma propiciação, uma reconciliação e uma expiação. Ele fez tudo isso. Eu pergunto para você aqui essa manhã:

– Que redenção é essa, que não redime? Que propiciação é essa que não propicia? Que reconciliação é essa, afinal, que não reconcilia? Que expiação é essa que não expia o pecado? Como gente? Eu vou pregar para vocês aqui sobre um Jesus que não salva? Como que eu vou orar a um Jesus que não garante nada?

Jesus quer que a Sua Igreja se sinta única nesse mundo. O amor que você é amado não é um amor generalista, não é um amor geral, não é um amor comum. A graça de Deus para seu povo não é uma simples graça comum, que Deus coloca sobre o mundo todo. Eu não estou dizendo aqui que Jesus não ama os incrédulos, eu não estou dizendo isso. Mas eu estou dizendo que Jesus Cristo amou a Igreja e se entregou por ela. (Efésios 5.25): “Vós maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela”. Não foi com amor geral que fomos amados, mas sim, com amor particular. A redenção é particular. Então, grave isso na sua mente, essas palavras precisam ter peso.

Repassando: Em primeiro lugar, nós estamos dizendo com Expiação Limitada, que Jesus salvou na cruz. Em segundo lugar, estamos dizendo que devemos levar a sério as palavras da Bíblia – redenção, propiciação, reconciliação e expiação –

Em terceiro e último, nós não estamos dizendo que a Trindade está brigando. O Deus Trino não está brigando. Veja bem, os irmãos da Armênia, estão dizendo: que o Pai enviou Jesus por todo mundo. E Jesus morreu na cruz por todo mundo. O pai envia o Filho para morrer na cruz por todo mundo. Então o Espirito Santo, como vocês sabem, a obra da expiação é aplicada pelo Espirito Santo, este é o seu papel, Ele aplica a obra. Exemplo: – Então o Espirito Santo pega a obra de Jesus, e Ele, o Espirito Santo, aplica a obra de Jesus nos perdidos. Mas então Jesus morre na cruz por todo mundo e o Espirito Santo não aplica a obra de dEle mesmo em todo mundo. A trindade está brigando. Então Jesus morre na cruz e quer a salvação de todo mundo, mas o Espirito Santo diz:

– Não, Jesus, de última hora eu mudei de ideia, serão só algumas pessoas.

A salvação é uma obra da Santíssima Trindade, o Pai não está contra o Filho, nem contra o Espirito Santo. Esta manhã nós somos uma consequência de um plano amoroso da Santíssima Trindade do nosso Deus. A salvação exalta a Deus como um todo. O pai envia o Filho, resgata, e o Espirito Santo aplica a obra sobre os eleitos.

O pai envia, Jesus resgata e o Espirito Santo capacita. Ele não só aplica a obra como ele vai modificando a gente. Há um amor trino tão grande, o amor de Deus é tão grande por Deus. O Espirito Santo ama tanto Jesus, que o Espirito Santo quer nos fazer parecidos com Jesus. O modelo é Jesus, é tudo sobre Jesus! E o Espirito Santo vai transformando a gente à semelhança do Filho conforme Romanos 8. Tudo isso para a glória do Pai.

Existe uma obra de Deus na tua vida? Deus está fazendo uma obra? Seus velhos gostos têm sido transformados? Sua mente tem sido transformada? Deus está trabalhando em você? Deus está mudando a tua vida? Aqui esta manhã tem algo de Deus agindo em você? Tem alguma transformação sendo feita na tua vida esta manhã? “Ultimamente, Jackson, eu tenho lutado contra tantos pecados, mas eu estou feliz. Porque se eu estou lutando contra esses pecados, se isso me perturba, eu sei que Deus está fazendo uma obra em mim”.

Eu quero dizer a você meu querido irmão, se você chegou aqui esta manhã, quebrado pelo pecado, eu quero dizer: Jesus é salvador de pecadores! Jesus é salvador daqueles que se enxergam como pecadores e recorrem a Ele! Porque isto já é uma obra do Espirito Santo na vida do eleito.

“Jackson, e quando João usa a palavra ‘mundo’”? Alguém vai perguntar isso aqui e, se não perguntar agora, vai perguntar em casa. Então eu já vou responder aqui:

– 1João 2.2, João fala: “E ele (Jesus) é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo”. Nossa! E agora? E agora? Acabou com a gente. Olha só, João diz: “E ele (Jesus) é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelo de todo mundo”. E João 3.16: Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. É óbvio que este capítulo é mais tranquilo, o próprio João vai dizer lá no final, que aqueles que não têm o Filho sobre eles permanecem “a ira de Deus”. Mas e o mundo? Quando João fala em “mundo”? A visão da igreja primitiva é uma visão tribal. Eles acham que Jesus veio só pelos judeus, a igreja primitiva no comecinho, nos primeiros 30 anos. Demora uma média de 30 anos, até a igreja explodir em missões. Paulo começa as viagens missionárias quase trinta anos depois da morte de Jesus. Não foi assim: “Jesus morre na cruz e nós vamos lá pregar para os samaritanos”. Não, eles continuaram querendo que os samaritanos morressem. A visão da igreja primitiva é uma visão tribal, local, quando o apóstolo João está falando de todo mundo, não é “cada indivíduo do mundo todo”. João usa essa palavra outras vezes, sempre que João usa isso ele está se referindo a nações inteiras, a gente “de todos os povos”.

Se eu creio que em 1João 2.2 está falando que é o pecado de cada pessoa do mundo, então, eu vou falar só sobre João.

João 1: 29: “No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. Que tira o pecado de quem? O mundo não tem mais pecado então? A gente sabe que Jesus tirou o pecado de pessoas do mundo todo. O que João está dizendo é isso. Não que o mundo todo agora está sem pecado.

João 16:8: “E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo”. O Espirito Santo convenceu o mundo todo do pecado, da justiça e do juízo? Não, mas são pessoas do mundo todo. Preste atenção aqui, porque, senão, a gente vai ter uma teologia muito complicada. Olha só, em outro momento a Bíblia vai dizer: “O mundo jaz no maligno”. O mundo todo?! Ele tirou o pecado do mundo todo?! Pera aí cara, aqui o mundo é o sistema mundano, o sistema ímpio do mundo. É a cosmovisão moral, os homens que não conhecem a Deus. Mas agora, quando João está falando de “mundo”, é uma outra espécie de mundo.

“Tá, Jackson, mas Paulo usa a palavra todos: ‘Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, que quer que todos os homens sejam salvos, e cheguem pleno conhecimento da verdade’. Ai, e agora Jackson, nos te pegamos, hein”?!

Olha o que diz a partir do verso um, precisamos ver o contexto todo. 1Timoteo 2.1-4: “Antes de tudo, exorto que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e serena, em toda piedade e honestidade. Isso é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, que deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade”. Quem são todos esses homens? São homens de todas as localizações ou posições sociais. Porque Paulo está dizendo para orarmos pelos reis, e os reis estão perseguindo a igreja primitiva. E eles jamais imaginavam que esses caras poderiam ser salvos. Então Paulo diz que devemos orar por todos os homens? Todos quem? Reis, governantes, lixeiro, padeiro, gente de todas as classes sociais. Não são todas as pessoas do mundo, todo mundo. “Ah, Jackson tu está forçando isso!” Então eu pergunto: – Toda vez que a Bíblia diz todos, é todo mundo?

Marcos 14.50: “Então todos o deixaram e fugiram”. Os caras estão indo prender Jesus. Daí a Bíblia diz “então todos o deixaram e fugiram”. É óbvio que a Bíblia está falando dos discípulos. Mas será que quando a Bíblia fala todos, será que todas as pessoas do mundo fugiram de Jesus? Foram prender Jesus, e os guardas que foram prender Jesus, fugiram?! “Porque estão fugindo”? Porque todos fugiram. O arminiano, quando lê isso, “porque todos o deixaram e fugiram”, eles imaginam que Jesus ficou sozinho de um lado do mundo, e todos fugiram para outro hemisfério do mundo. Porque quando eu leio Marcos, eu interpreto o contexto. Eu sei que “todos” aqui se refere aos discípulos. A gente faz isso o tempo todo. A Bíblia usa essa linguagem que usamos no dia a dia. Exemplo:

-E aí Heber, como é que estão todos? Fizemos uma janta, lá! Estava todo mundo.

O arminiano pensa assim:

-“Nossa! Estava o mundo todo, lá na casa do Heber. Meu! Nossa! A Ingrid morreu cozinhando! Imagina! Cozinhar para todo mundo. Eu sei que era o GC do Kauê, estava todo mundo lá na casa do Daniel”. “E aí Christoffer, vai ter aquele jogo lá na Vintage?” “Ô meu, vai estar todo mundo lá”. “Nossa, vai estar o mundo todo naquela igrejinha”. NÃO! Eu sei quem é “todo mundo”, então eu sei que é o pessoal de sempre. Então quando Paulo fala isso. Lembra de Marcos 14.50, quando todos deixaram e fugiram.

Para encerrar, o que mais a Bíblia fala mais sobre isso? Então eu quero encerrar com alguns textos bíblicos:

Isaias 53.8: “Pois ele foi tirado da terra dos viventes, ferido por causa da transgressão do meu povo”.

Mateus 1.21: “Ela dará à luz um filho, a quem darás o nome de Jesus; porque ele salvará seu povo dos seus pecados”.

Mateus 20.28: “A exemplo do Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e para dar a vida em resgate de muitos”.

Lucas 1.68: “Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e libertou seu povo”.

João 10.11, 15: “Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a vida pelas ovelhas”; “assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas. John Piper diz que dar a vida pelas ovelhas é diferente que dar a vida por todas as pessoas.

João 13.1: “Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que havia chegado sua hora de passar deste mundo para o Pai, e tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim”.

A pá de cal! Esse tu tem que ler em casa. Anota no braço. Tatua aqui, junto com a lágrima e um beijo no pescoço. “É nóis”! Esse aqui tem que tatuar. Os homens, puxa o mamilo para o lado e tatua:

João 17.1, 2, 6, 9:

1 “Depois de falar essas coisas, Jesus levantou os olhos ao céu e disse: Pai chegou a hora. Glorifica teu Filho, para que também o Filho te glorifique,”

2 “assim como lhe deste autoridade sobre toda a humanidade, para que conceda a vida eterna a todos os que lhe deste”.

6 “Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste. Eram teus, e tu os deste a mim; e eles obedeceram à tua palavra”.

9 “Eu rogo por eles. Não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus”.

Jesus dizendo que não ora pelo mundo. Isso é brutal! Ele amou a igreja e se entregou por ela.

Desvalorizar a morte de Jesus. Você nunca mais pode cantar sobre a morte de Jesus do mesmo jeito a partir de hoje. Você deve olhar para a morte de Jesus a partir de hoje com temor. Com reverência, com gratidão e fé pelo que Jesus fez por nós. Você tem que chegar aqui e tremer diante de Deus, quando falarmos sobre a morte de Jesus.

Alguém vai dizer:

-Jackson, mas eu não sei se Jesus morreu por mim.

Alguém está pensando isso aqui. James Boice, em seu livro “As Doutrinas da Graça”, ele encerra esse capítulo de forma brutal, ele diz assim:

– A Bíblia não manda a gente ficar conjecturando se Jesus morreu ou não morreu. Pecador! Venha a Cristo. Se você vier, Jesus morreu por você”.

É simples assim. Pecador! Venha a Cristo. Se arrependa de seus pecados. Se você vier, você vai saber que isso não foi uma obra sua. Isso é uma obra do Espírito Santo! Você veio a Jesus? Vim! Então ele morreu por você. Você creu? Eu cri! Então ele morreu por você. Você se arrependeu dos seus pecados? Eu me arrependi! Então ele morreu por você! Como que eu evangelizo agora? Eu nunca mais poderei dizer para as pessoas: “Ele morreu na cruz por você?” É! É complicado falar isso. Você pode dizer que Jesus morreu na cruz por pecadores. E se você se vê como pecador, já é uma boa notícia, é uma alegria. Jesus salva pecadores. Algum tempo atrás eu coloquei no meu Facebook: “Jesus ama muitos homossexuais”. Muitos, muitos, muitos! As pessoas me perguntam “Por que não todos?” Eu acho que não são todos. Não estou dizendo aqui que não existe um amor de Deus pelos perdidos, porque existe. O jovem rico está chegando diante de Jesus, o jovem rico chega, e Jesus fala:

– Vai e vende tudo o que tu tem e depois me segue.

Ele abandona Jesus e vai embora. Em Marcos, o texto diz que Jesus muito o amou. Então Jesus ama os perdidos também. Jesus ama aqueles que nunca serão salvos. Mas o amor pela igreja é um amor muito especial. Um amor diferente. Que você a partir de hoje leve a morte de Jesus muito mais a sério.

Nós não estamos brincando aqui. Não estamos rifando o sangue de Jesus. Não estamos rifando a morte de Jesus. Nós devemos ter reverência diante de Jesus. Nós devemos ter temor diante de Jesus. Peço uma coisa. Que você responda isso aqui. Que você responda o que está sendo pregado. Que você responda à morte de Jesus cantando, ceando e ofertando! Que haja resposta destas três formas. Que o que Ele fez na cruz transforme a tua vida. Transforme o teu ser. Vamos ficar de pé igreja!

Há um convite aqui esta manhã! Há um convite! Que você se arrependa de seus pecados. Mas muito mais que um convite, há aqui uma ordem.

– O evangelho faz um convite? Faz!

“Vinde a mim, vós que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei”. Isaias diz: “vinde aquele que não tem dinheiro compre e beba da água da vida”, venham. Então, o evangelho tem um convite. É claro que tem. Mas o evangelho tem uma ordem. Jesus é um rei e enviou eles. Há uma ordem aqui esta manhã! Não só um convite! Há uma ordem que você se prostre diante do Rei dos reis. E que você se arrependa dos seus pecados. Há uma ordem aqui está manhã. Para que você abandone as suas práticas pecaminosas. Nós não estamos aqui interessados no seu dinheiro. Interessados na sua aprovação. Estamos interessados que você se arrependa dos seus pecados, porque você é pecador imundo, porque você necessita da graça de Deus. Você precisa se arrepender diante de Jesus. Feche seus olhos e vamos orar!

Pastor Jackson Jaques

1 de outubro de 2017