Como ARRUINAR seu Legado (Semana #1)




Primeiro sermão da série Malaquias – Viver Por Um Legado, pregado pelo pastor Jackson Jacques, na igreja Vintage180, dia 05 de novembro de 2017.

Download PDF

Como ARRUINAR seu Legado (Semana #1)

Bom dia! Bom dia gente! Como vocês estão? Estão bem felizes? Alegres? Sorridentes? Deus é bom e o diabo não presta. Bom, meu nome é Jackson, sou um dos pastores dessa igreja e, eu tô muito feliz. Nós estamos começando uma série de sermões nova, hoje, aqui. Deus é bom, é bom demais. A série em Malaquias – um bom nome para seu filho, né? Seria legal, “Malaquias vai lá buscar os ‘pão’, lá e cala essa tua boca”. “Vou te dar um tapa nos teus ‘beiço’, Malaquias”. Demais, demais, Malaquias.

Então, gente nós estamos vivendo numa cultura, hoje, no Brasil, extremamente individualista, extremamente egoísta. As pessoas hoje só estão preocupadas consigo mesmas, com seu umbigo. Estão preocupadas somente com suas vidas, suas coisas. Aham! E muito do debate que tem se feito hoje é sobre liberdade x igualdade, né?! Mas, aqui, não é uma questão econômica que eu queria falar com vocês. Mas, simplesmente no trato da vida. Nós vivemos em uma sociedade extremamente individualista, aonde o “eu” é o que mais importa. Aonde a minha vida, a minha história, é o que mais importa, basta a gente ver as redes sociais. Por que bomba tanto o Facebook? Por que o Facebook é sobre você, está lá a tua foto, com aquela cara de demônio, entendeu? Aquela cara horrível, terrível, inchada e você está lá feliz. Porque o Facebook é sobre você, seu Twitter é sobre você, seu YouTube é sobre você. Grava um vídeo lá e acha que é youtuber! Três views: a mãe, o cachorro e alguém que clicou errado. Né?! Então.

E isso é sobre a gente. Muitas pessoas se encantam com isso, não querem ficar mais lendo Caras, lendo a revista Contigo, não querem mais. Isso aí é passado, eu quero um negócio sobre mim, eu quero ver minha história, minha bio. Eu costumo dizer que quem tem Instagram se acha bonito, pergunta aí: “Você tem Instagram”? Pergunta. Tu tem Instagram Léo? Tu tem Instagram, Léo?! Eu não acredito Léo. Léo, quem mentiu pra… Eu tô brincando, Léo! Pergunta aí, “tu tem Instagram”? Pergunta, olha pro lado e pergunta. Tem Instagram? Tem Instagram, tem? Tu tem Instagram, William? Não. Ah, que bom, né, óbvio?! É, realista né. Então se tem Instagram a pessoa se acha bonita. Não adianta, se tem Instagram, se acha bonito. Tem um negócio que a pessoa coloca a suas fotos? Se acha bonito.

E nós somos uma cultura extremamente individualista, imediatista. Nós queremos as coisas para ontem. O nego vai no McDonald’s, vai comer. O que eu já vi de gente xingando aqueles atendentes não tá no mapa. O cara chega lá e grita, xinga. E o pior não é: uma vez eu fui defender um atendente de um cara que estava xingando, e a gerente me xingou. Mas me xingou mesmo. Porque eles estão tão acostumados a brigar com os clientes que eles não estão acostumados a alguém defendendo eles. E eu: “Não, não fale assim com ele”. “Cala a tua boca”, a mulher mandou eu calar a boca, e gritou assim. Na hora eu até afinei a voz, fiquei tão assustado.

As pessoas vão no McDonald’s porque a comida é rápida. É comida rápida. Então nós vivemos em uma sociedade fast-food. De comida rápida, de vida de imediatismo, aonde nós queremos tudo para ontem, tem que ser tudo rápido, não queremos que as coisas se atrasem. Nós queremos as coisas no momento certo, combinado. E isso no seu lugar, é correto. Mas não se cria um legado, não se cria uma história familiar, eclesiástica, da noite para o dia. A nossa igreja está crescendo, nós estamos, hoje, recebendo alguns membros nos dois cultos. A nossa igreja está crescendo, os casais estão querendo ter filhos, mulheres estão engravidando. Mas, engravidando mesmo, umas nem sabiam e, tão grávida, né, Jenifer, né?! Acordou com seis meses. Eita, hein? Ganha amanhã. Entendeu, né?! Então, alguns homens na nossa igreja estão tomando posição de homens, dentro suas casas, cuidando das suas mulheres, cuidando da sua prole, dos seus filhos. E a gente esta começando a existir, não apenas como um bando de jovenzinhos, “inquietozinhos”, dinâmicos, malandros, espertinhos. Nós estamos começando agora a existir como pessoas maduras. Os primeiros sinais, os frutinhos de maturidade, estão começando a surgir na nossa igreja. E nós estamos indo aí para 5 anos de plantação em maio ou junho do ano que vem, dependendo da data que cair o pentecostes. Os primeiros sinais de maturidade estão surgindo no nosso meio e é bom a gente pensar no nosso futuro. Por exemplo, aqui tem essa árvore-de-natal com as caras das crianças. Algumas bonitas outras nem tanto, outras meio estranhas. Não to brincando as crianças são todas bonitas. Não, não são, não!

E tem a lenda de que na árvore-de-natal eles penduravam a cabeça das crianças, vocês sabem essa aí, né? Nós seguimos à risca isso, tá? A cabeça das crianças aí, todo ano tem que ter as cabeças das crianças penduradas na árvore-de-natal. E isso, gente, é o legado que nós estamos deixando. Todos deixamos um legado. Todos. Todos vamos deixar um legado para a próxima geração. Solteiros, casados, pais, avôs, pessoas inférteis, todos deixamos um legado. Alguém pode dizer, “ah, mas eu sou solteiro não vou deixar legado nenhum”. Se você disser isso, você está dizendo que Jesus não deixou legado nenhum. Se você acha que somente casados deixam um legado, você está dizendo que Paulo e Timóteo não deixaram legado algum. A grande questão ou uma primeira questão, nesse momento, é quando nós pensamos na próxima geração, estamos começando a nos desligar da cultura moderna. Cultura esta que não se preocupa muito com o futuro, basta ver que as pessoas não plantam árvores. Basta ver que as pessoas não estão muito preocupadas com a sua saúde, não estão muito preocupadas com o amanhã. É uma cultura para hoje, para ontem! Agora, quando eu começo a ver pessoas que não estão procurando o caminho mais fácil, mas estão procurando o caminho de maior responsabilidade. Eu estou vendo ali, que começa a surgir uma cultura de legado. Então, você está diante de uma situação, principalmente os homens que estão aqui. Você está diante de uma situação complicada. Como que você toma uma decisão? Baseado na Palavra, pastor! Ok. Eu sei! Muito bom! Que legal! Agora a questão é a seguinte: você toma a postura, ou uma posição, ou uma decisão, baseado na facilidade que você vai ter? Ou seja, a coisa mais fácil. E o pecado nasce basicamente aí, quando nós escolhemos a coisa mais fácil. Homens de verdade, eles escolhem, não o caminho mais fácil, mas eles escolhem o caminho de maior responsabilidade. Tem dois caminhos: um fácil e um caminho que exige responsabilidade. Homens escolhem este caminho.

A questão, também, quando nós paramos para pensar em uma cultura de legado. Nós temos que mais ou menos imaginar como se fosse como uma corrente. Imagine uma corrente, cada elo, cada pedaço da corrente vai engatando um no outro. Você imagina agora, as pessoas passam de carro, e veem as correntes penduradas nas casas e não sabem para o que é aquilo. Vocês já viram isso? Sabem para que é isso? Não sabem? Isso, para a água não ficar caindo que nem um negócio… A água vai escorrer pela corrente. Tem uma corrente na tua casa, Daniel? Ah! Tem que ter, isso é um negócio chique. Eu vou colocar uma corrente na minha casa. Ter corrente na sua casa, na calha e um carrinho de bebê de três rodas. Tem que ter três rodas. Não me vem com: “Ah, pastor, vai ter um filho, vou te dar um carrinho pro teu filho”. Não me vem com um carrinho com quatro rodas. Arranca uma ali, e bota uma no meio, uma de carrinho de supermercado. Ai é um negócio legal! As pessoas que tem carrinho de bebê de três rodas não lambem a tampa do iogurte. Não lambem, entendeu? Não lambem! Não são pessoas miserentas. Tu vê quando a pessoa é miserenta quando ela abriu o iogurte, tem todo o iogurte para ela, mas ela lambe a tampa. Sabe?

Então, você imagina aquela corrente descendo, na calha, o primeiro elo da corrente precisa ser o mais forte. Ainda que todos sejam iguais, ele precisa ter força porque ele vai aguentar todos os outros, o peso de toda a corrente. Talvez eu estou pregando aqui, esta manhã, para pessoas que são o primeiro elo da corrente. Você está sustentando, você vem de uma família onde ninguém é cristão e você quer deixar um legado. Você quer começar aí uma corrente. Você precisa ser um elo muito forte, muito, muito, muito forte. Os primeiros elos da corrente da fé precisam ser fortes para sustentar toda a corrente. Agora você precisa saber responder mentalmente se você é um elo da corrente da fé, ou se você é o primeiro elo da corrente. Se você é o elo mais forte ou o mais fraco, quem você é na corrente da fé da sua família? Um elo forte, um elo fraco? A questão é que no livro de Malaquias, que a gente começa hoje uma série, Deus está falando com muitos que são elos fracos dessa corrente. Deus se coloca, em Malaquias, como um pai que está falando com seus filhos. A linguagem é exatamente isto: Deus é um Pai. No verso 6 do capítulo 1, já aparece isso. Malaquias é o último livro do Antigo Testamento. Ele é a porta que vai fechar o cânon do Antigo Testamento. É o último livro. Deus vai ficar em silêncio por mais de quatrocentos anos. Ele vai dar o seu último anúncio. Você imagina, Deus vai ficar em silêncio profético por quatrocentos anos, Ele vai dar sua última palavra. O que você falaria para seus filhos se você fosse dar um anúncio? “Olha só, eu vou ter que dar uma saída, escuta aqui”. Eu me lembro com o se fosse hoje, tinha seis anos de idade e os meus pais tinham se separado, e a minha mãe chega para mim e diz assim: “Eu tenho que ir ao centro, te senta aqui”. Sento eu, cabeçudo, ali. Eu sempre fui cabeçudo só que agora o corpo cresceu em volta da cabeça, então vocês não notam muito. Isso foi uma estratégia minha. A minha mãe me sentou e me deu algumas recomendações com muito amor, muito amor: “Se tu tocar no fogão eu te mato, eu te mato, te executo”. Aquilo foi convincente sabe? “Tu vai ficar sentado, aqui tá a comida”. Ela colocou uns negócios, comida, bolacha – bolacha, não é biscoito, é bolacha. Biscoito quem fala biscoito?! “Biscoito”, só se for o filho do Rodrigo. Então, aí botou um pote de bolacha, refrigerante e disse: “Tu não vai te levantar daqui”. Quando a minha mãe voltou do centro, ela disse: “Oi”! E, eu disse: “Posso ir no banheiro”? Ela estava dando suas últimas instruções antes de dar uma saída. Não é o caso de Deus, porque Deus não saiu. Deus não fugiu, nós não somos deístas. Mas deus vai ficar um tempo em silêncio com o povo. E Deus está sentado com o povo para dar instruções para esse povo. E, basicamente, o livro de Malaquias mostra elos fracos de uma corrente, pessoas extremamente pecaminosas, iguais a você e eu. O que Deus tem a dizer neste livro para a gente, o que Deus tem a revelar, a mostrar neste livro para nós?

Então, a gente vai ler do verso 1, de Malaquias. Do verso 1 ao verso 5. Eu vou pegar minha Bíblia, vou pregar essa série de sermões com essa Bíblia, aqui, “marrom café”, bonitona para caramba. Nosso púlpito tá sujo, tá sujo. Pó é mato! Deus abençoe vocês irmãos.

Malaquias 1, do verso 1 até o 5, fique com a Bíblia aberta aí:

1 Palavra do SENHOR contra Israel, por intermédio de Malaquias.

2 Eu sempre vos amei, diz o SENHOR. Mas vós perguntais: De que maneira nos tens amado? Por acaso não era Esaú irmão de Jacó?, diz o SENHOR. No entanto, amei Jacó

3 e rejeitei Esaú. Fiz dos seus montes uma desolação e dei sua herança aos chacais do deserto.

4 Ainda que Edom diga: Estamos arruinados, mas voltaremos e reconstruiremos as ruínas, o SENHOR dos Exércitos diz assim: Eles reconstruirão, mas eu demolirei. Serão chamados: Terra da Maldade, povo contra quem o SENHOR está irado para sempre.

5 E com os olhos o vereis e direis: O SENHOR é grande até mesmo além das fronteiras de Israel.

Então falando em legado, como que nós deixamos um legado? Antes de falar como nós deixamos um legado, eu quero falar para vocês, hoje aqui, sobre como nós não deixamos um legado ou como nós arruinamos nosso legado. Como que você arruína sua vida, como que você vai fazer se você quer, “Jack, eu quero arruinar minha vida”. Eu quero dar alguns passos para você arruinar a sua vida.

Primeiro lugar, o que você precisa para arruinar o seu legado, para arruinar a vida dos filhos, para arruinar a vida de quem anda com você, para arruinar a vida de sua esposa, para arruinar a vida de seus pais, para arruinar a vida de seu esposo. Você quer arruinar? Você quer estragar tudo? Primeiro lugar: ignore a Palavra de Deus.

Verso 1, o profeta Malaquias diz… Primeiro que Malaquias não aparece em nenhum lugar na Bíblia, o período desse livro aqui provavelmente, é pós-exílico, o povo havia voltado. Calvino chegava a dizer que Malaquias seria um codinome para Esdras, só que Calvino estava errado. Esse livro é pós-exílico, ele vai lidar com algumas questões parecidas com o livro de Esdras e Neemias. Então, Malaquias, esse cara que só aparece aqui na Bíblia, ele aparece no v. 1 dizendo, “Palavra do Senhor contra Israel, por intermédio de Malaquias”. “Palavra”, que no original é sentença, envolve peso, envolve responsabilidade. Ele tem um peso extremamente grande sobre suas costas, você nota que Malaquias não está profetizando em favor dele, ele não está pregando em favor dele. Você pode ler, eu li ele – Malaquias – em sete minutos e trinta e quatro segundos, cronometrei para ver quanto tempo demorava, é curto. Mas ele não está falando em favor dele aqui. Deus é o nosso Pai e Deus nos fala através do livro de Malaquias. É como se Deus sentasse, e colocasse seu povo no seu colo e começasse a falar com o seu povo. A palavra Malaquias, o nome “Malaquias” quer dizer mensageiro. Você precisa entender que, quando as Escrituras falam, Deus fala. As Escrituras têm o mesmo tom da voz de Deus. Deus fala conosco através das santas e amadas Escrituras. Verso 1, o profeta Malaquias está dizendo: “sentença” ou “Palavra do senhor contra Israel”. Se você ama o Senhor, eu quero dizer uma coisa para você aqui, se você ama Jesus, se você ama o Senhor, você precisa amar a Bíblia, você precisa amar as palavras de Jesus. A forma como você se relaciona com a Bíblia revela a forma como você se relaciona com Deus. É impossível você criar um bom legado para próxima geração se você não prestar a atenção na Palavra do Senhor. Verso 1, “Palavra do Senhor contra Israel, por intermédio de Malaquias”. Quem gosta de Deus precisa pegar o livro em que Deus falou, escreveu, é uma sentença.

Interessante é que muitos de nós, da nossa geração, estão extremamente interessados quando a Palavra de Deus faz promessas para nós, só que Malaquias começa dizendo, no v. 1, dizendo “Sentença do Senhor”, há um peso, há uma responsabilidade, há uma seriedade enorme no que Malaquias vai começar a falar. Muitos não dão muita atenção hoje. Você quer ver um pregador bombando, na internet? Ele vai falar palavras de vitória, “você vai vencer, vem um tempo poderoso sobre sua vida”. Quem disse? Quem disse? Você vai pegar agora aquele manazinho, quem aqui nunca teve manazinho? Aquela porcaria do inferno lá, é uma bosta, né? Cocô, fezes. Sabe, o negócio? O nego vai orar, aí o nego tira um versículo, ou meio versículo: “Eu, o Senhor vou te abençoar”. Teve um cara que se matou depois disso, levantou assim e foi, “Judas suicidou-se”, daí ele tirou outro, “vai e faz o mesmo”, não, daí não é Deus, né?! Por que tem caixinha de promessa? Por quê? Por que não tem Caixinha de Sentença? “Vai te converter relaxado”, eu vou fazer ainda, caixinha da sentença, “para de ver pornografia, seu sem vergonha, Deus está te vendo, você vai morrer, ainda, pelado aí na frente do computador”. “Que legal né”, “que foi?” “Morreu. Estava lá vendo um site e morreu, pegamos ele morto na frente do computador, pode pregar no enterro?” “Eu não!” Que legal, né?! Morreu, morreu. Então, caixinha da sentença, escreve essa ai, vou fazer uma caixinha da sentença.

Então, Malaquias está trazendo uma sentença, nem sempre Deus falará coisas calmas para nós. Ele está trazendo um peso, um fardo, o profeta carrega uma responsabilidade de quem fala a Palavra, falar a Palavra não é brincadeira gente. O que eu tenho ouvido de gente, “eu quero ser pregador”. Um dia chegou um cara para mim aqui, na igreja: “Pastor eu tô desviado”, sabe a voz estilo a do Mickey assim, “Pastor eu tô desviado, mas eu quero voltar para a igreja, se eu voltar, eu posso pregar?” Assim, do nada, e eu, “pode cara, a cidade é grande, o mundo, prega, prega e prega cara”. “Não, eu quero saber se eu posso pregar aqui no púlpito?”, “Ah, talvez pode cara, quem sabe, né?!”, “então tá pastor, estamos firme”. Nunca mais voltou, não voltou. O Liscano também tinha um amigo assim, chorava, “eu amo essa igreja”, ele tinha a mesma voz, “eu amo essa igreja”, nunca mais voltou. Então assim, pregar a Palavra não é brincadeira, envolve um peso, uma sentença. Spurgeon, quando subia o púlpito do Tabernáculo Metropolitano para pregar o Evangelho, ele dizia, “Senhor sê comigo, que teu Espírito venha me capacitar”. Ele subia os degraus do púlpito em oração. Pregar o Evangelho não é brincadeira. Malaquias está trazendo um fardo, o texto aqui mostra que ele carrega um peso.

Outra coisa, no v. 1, ele mostra que o texto, essa sentença, essa Palavra é “contra Israel”. Deus pode falar alguma coisa contra você? Ou Deus só pode falar coisas a teu favor? Vai ficar brabo com Malaquias? Porque a gente sempre fica brabo com o mensageiro, a gente acha que é implicância de Malaquias, implicância do pastor, implicância dos obreiros. A gente nunca para para pensar se o problema é a gente, você fica complicado, fica brabo. Minha pergunta para você aqui essa manhã, é: Quando Deus fala, você ouve Deus como um filho? As Escrituras são o mapa da tua vida? Deus pode chamar tua atenção ou não? Você é a dondoca, você é um mauricinho, você é o filho mais novo, não toca na criança? Você deixa Deus chamar a atenção da sua esposa? Você fica defendendo sua mulher? Você fica defendendo seu marido, barbado, nego grande, velho, você fica defendendo? “Minha irmã, seguinte, teu filho esta dando sinais de que ele não é cristão não”. “Não, meu filho é sofrido”. 18 anos, indo para o exército, “ai, vai sofrer no exército”. Que sofra, que se ferre. Deus pode falar algo contra você? Ou você ignora quando homens de Deus trazem uma palavra contra você? Você ignora? Você não é de Deus. “Tira outro maná”, não tem negão, é a Palavra de Deus. Malaquias está dizendo: “Palavra do Senhor contra Israel”. Não ignore a Bíblia ou ignore se você quiser arruinar a sua vida.

Em segundo lugar, como que nós arruinamos com nosso legado? Está no v. 2. O verso 2 diz: “Eu sempre vos amei, diz o Senhor. Mas vós perguntais: De que maneira nos tens amado? Por acaso não era Esaú irmão de Jacó?, diz o Senhor. No entanto, amei Jacó”. Em segundo lugar, para você arruinar seu legado, você precisa ignorar o amor de Deus como Pai.

Em Malaquias eles não estão ofertando de forma generosa, não. São ladrões. Em Malaquias eles não estão levando seu casamento a sério, são adúlteros, estão abandonando as mulheres. Em Malaquias eles não estão levando o culto a sério. Por onde Deus vai começar, você imagina só, Deus chegando em um lugar onde os caras não ofertam de forma generosa, os caras não adoram a Deus de forma livre, espontânea, alegre e os caras estão abandonando suas mulheres. Qual a primeira palavra de Deus para esses caras? “Ah, vai mandar um raio na cabeça deles. Vai mandar um furacão”. Deus começa dizendo, no v. 2, “Eu sempre vos amei”. Ele começa mostrando seu amor. Deus não é impessoal, Deus não é uma força. Deus é uma pessoa, e Ele tem sentimentos, Ele ama. Só que o triste, não é o começo do v. 2, mas é a continuação. “Mas vós perguntais: De que maneira nos tens amado?” Quando nós respondemos, o povo está respondendo para Deus como se o pai, Deus pai nos colocasse no seu colo e dissesse que nos ama, e nós respondesse isso com um tapa no rosto de Deus. Deus está sendo ofendido aqui. Eles deveriam ter dito, quando Deus disse “eu amo vocês”, eles deveriam ter respondido: “eu também te amo, Senhor”. Mas eles acusam Deus de não amar eles, eles acusam Deus de pecar e mentir. Deus está dizendo “eu amo vocês”, e eles estão dizendo não, não ama não. Estão chamando Deus de mentiroso, estão chamando Deus de diabo. E conosco é assim também. Só tem duas opções aqui, essa manhã, você pode dizer: “eu não acredito que esses caras fizeram isso”, ou você pode dizer: “eu não posso acreditar que eu ainda faço isso”. O problema no nosso meio, muitas vezes, é a ingratidão, a nossa natureza é ingrata diante de Deus. Você é ingrato, você é ingrato. Você acha que deveria ter mais coisas. Eles olham o caos e dizem: “se Deus nos amasse, nossa situação seria outra”. Quantos de vocês já fizeram isso? Quantos de nós já falamos isso? Quantos de nós já pecamos dessa forma, “porque estou passando por isso?”, “Se Deus me amasse de verdade, eu não passaria por isso”.

A história toda da humanidade é essa. Você precisa compreender aqui essa manhã que você merece o inferno! Você merece o inferno! Você entende isso? Consegue entender? Eu mereço o inferno! Você não merece o céu. Tudo o que você tem, tudo, tudo, tudo que você tem, tudo que não é inferno, é presente. Você não merece nada, nem eu! Se nós queremos deixar um legado, nós precisamos nos focar no amor de Deus como um Pai! Uma família que duvida do amor de Deus como Pai, não deixa um legado! Um pai que vive murmurando contra Deus, contra a igreja, ele não deixa um legado para os seus filhos. Você vai ter um desviado na sua casa, é uma questão de tempo para o seu filho abandoar a fé. Nós não deixaremos um legado sendo ingratos ao amor de Deus.

Verso 2, Deus está dizendo “eu sempre vos amei, diz o Senhor”. Deus não precisa fazer isso, mas ele está abrindo o peito, e todos os comentaristas que eu li, disseram que Deus aqui está sendo ofendido, Deus aqui está sendo afrontado, e o pecado desse povo, quebra o coração de Deus. O problema é que nós temos uma visão de um Deus que é somente exaltado, que é correto. Mas nosso Deus também é pessoal e o nosso pecado, o pecado do povo de Deus, quebra o coração de Deus. Você quer deixar um legado para próxima geração? Você precisa urgentemente se focar no amor de Deus e não ignorar o amor de Deus como Pai. Eu sei que a tua vida, talvez, não é a melhor que você poderia imaginar, mas é melhor do que você merece, é extremamente melhor. Você não merece a vida que está levando, você merece o inferno. Você precisa aprender com o Felipe Sandin, ele tem uma teologia muito pastoral com o filho dele, ele fez o Matheus repetir o quê? Que é “um pecador imundo”. Quantos anos ele tem, Felipe? 3 anos. Ele já repete “eu sou um pecador imundo”. Felipe é muito calmo, né?! Cara tranquilo assim, ensinando. O guri cortou o dedo uma vez, né Felipe? Imagina isso, o Matheuzinho cortou o dedo, aí o Felipe cortou o próprio dedo e disse: “olha aqui, guri, eu tô chorando”? E o guri parou de chorar, diz que, desde então, nunca mais chorou. Mas, e aí “pecador imundo”? Hoje estou empolgado, faz assim, vira aí para quem está do teu lado e diz: “Oi, seu pecador imundo, tu não me engana”! Vai, fala aí, fala aí: “Tu não me engana com essa tua cara”.

Então, em primeiro lugar, como você vai arruinar o seu legado? Em primeiro lugar, ignore a Bíblia. Em segundo lugar, ignore o amor de Deus como Pai.

Em terceiro, ignore a graça de Deus. Versos 2 e 3: “Eu sempre vos amei, diz o SENHOR. Mas vós perguntais: De que maneira nos tens amado?, Por acaso não era Esaú irmão de Jacó?, Diz o SENHOR. No entanto, amei Jacó e rejeitei Esaú. Fiz de seu montes uma desolação e dei sua herança aos chacais do deserto”. Deus não escolhe com base nas obras. Nos saímos de uma série de sermões, no Calvinismo, e você sabe disso! Você não está aqui porque você é o bonzão, você não está aqui porque você é pimposo, cheiroso, bonito com esse teu perfume da Avon aí! Não, você não é, você não está aqui por causa disso. Nós estamos aqui porque Deus nos escolheu com base no Seu amor, com base na Sua graça, que é “favor não merecido”, e sempre que nós falamos de Jacó e Esaú, nós pensamos sempre o seguinte: “Deus escolheu Jacó porque ele é piedoso”, “mas ele enganou seu pai”, “não, mas, veja bem, ele tinha amor pelas coisas de Deus”, aqui, eu estou falando que Deus escolheu Jacó com base nas obras. A grande questão, aqui, é que os dois são uns bostas, Jacó e Esaú, são duas pragas, meu. Jacó e Esaú não estão nem aí com nada. Esaú não está nem aí, “deixa vida me levar, vida leva eu”! Os dois são maus, você agora imagina comigo aqui, Esaú machão, viril, veio com a barba aqui em baixo, andava com um machado, matava os bicho pra comer, Esaú é esse cara, meu. Daí tem Jacó, ele é mais delicado, Jacó é da mamãe, fica em casa fazendo tricô, de boa, entendeu? Quem Deus escolhe? Quem nós iríamos escolher? Esaú. A diferença é que Deus não escolhe com base nas obras. Homens que estão aqui, você eram os queridinhos da mamãe, e Deus te escolheu. Quem nós escolheríamos? Nós provavelmente escolheríamos Esaú, mas Deus escolheu Jacó. Porque não é com base nas obras. É com base na graça e no amor de Deus. Você só pode receber duas coisas, ou você recebe graça ou você recebe o que você merece, que é o inferno, você tem que entender isso. Deus não nos elegeu porque nós cremos. Nós cremos porque ele nos elegeu. Deus não nos elegeu com base nas nossas boas obras, Deus nos elegeu para fazer boas obras. Deus não nos elegeu por causa da nossa santidade, mas Deus nos elegeu para ter uma vida de santidade. Deus não elegeu você por causa da sua obediência, mas Deus nos elegeu para ter uma vida de obediência.

Então, você quer ignorar o legado, você quer destruir o legado da sua vida? Você tem que ignorar a graça de Deus. Você tem que começar a falar para os seus filhos que você está ai, você está firme com Jesus, você ama a mamãe por que você é demais, você é bonzão, você nunca tem que pedir perdão para os seus filhos, você tem que fingir que você nunca erra, aí você destrói seu legado, destrói a sua família. Qual foi a última vez que você pediu perdão para a sua mulher? Qual foi a última vez que você pediu perdão para os seus filhos? O cara vai lá bate na filha dele, vê que está errado e não pede perdão, daí diz que já fica “pelas que eu não bati”. Onde você deveria estar agora, onde você merece estar? Você merece respirar? Você paga quanto pelo ar? Você paga a conta da luz do sol? Você não paga, você é um eterno devedor a Deus! Você quer deixar um legado? Você quer que seus filhos, amigos, irmãos sejam abençoados por você? Não viva achando que o mundo lhe vede algo. O Mundo não lhe deve nada. Os homens têm esse grande defeito. Nós, às vezes, pensamos que o mundo deve alguma coisa para nós. Às vezes, os filhos caçulas têm isso também, alguns órfãos têm isso também, eles acham que o mundo deve alguma coisa. Nós vimos semana passada o vídeo da Xuxa, o gurizinho diz: “hoje é meu aniversário”. Daí a Xuxa diz: “Que bom”. Você acha que está no show da Xuxa e que ela tem que parar para cantar: “Hoje vai ter uma festa…”. Não, a vida não é isso aí, a vida não é um morango.

Então, você quer destruir seu legado? Ignore a graça de Deus. Deus está dizendo nos versos 2 e 3, que Deus rejeitou Esaú e escolheu Jacó, escolheu Israel. Pela graça dEle! Jesus é bom e você não é.

Em último, como nós destruímos o nosso legado? Ignorando o juízo de Deus. Versos 4 e 5, diz o profeta Malaquias: “Ainda que Edom diga: Estamos arruinados, mas voltaremos e reconstruiremos as ruínas, o SENHOR dos Exércitos diz assim: Eles reconstruirão, mas eu demolirei. Serão chamados: Terra da Maldade, povo contra quem o SENHOR está irado para sempre. E com os olhos o vereis e direis: O SENHOR é grande até mesmo além das fronteiras de Israel”. Então, Edom é Esaú tá? Só para você entender, Edom é a continuidade do povo de Esaú. Só que um dos maiores males para um bom legado, é quando nós ignoramos o juízo de Deus.

O v. 4, está mostrando que existe um juízo de Deus, contra o povo de Edom. Para você entender: o povo de Israel é descendência de Jacó, está bem? Deus mudou o nome dele depois para Israel. O povo de Edom é descendência de Esaú, os dois são filhos de Isaque. Só que Deus havia julgado Edom, só que eles pensam que podem se reerguer pelos esforços próprios. Olha o v. 4: “Ainda que Edom diga: Estamos arruinados, mas voltaremos e reconstruiremos as ruínas, o SENHOR dos Exércitos diz assim: Eles reconstruirão, mas eu demolirei. Serão chamados: Terra da Maldade”. Qual o nome da terra de Israel? Jerusalém, a Terra Santa. A terra de Edom é a terra da maldade. Não existe paz para quem busca uma vida autônoma de Deus! Edom quer reconstruir as coisas na força do seu braço! Edom quer fazer seu legado na sua força. Você não vai conseguir fazer isso, você não vai conseguir ser uma pessoa alegre feliz se você virar as costas para Deus, ainda que essa não seja a primeira razão de buscarmos a Deus. Mas não existe alegria, paz, contentamento longe do Senhor. Edom está querendo fazer isso. Não existe paz para quem vira as costas para Deus. Os Edomitas nunca foram restaurados. Escuta aqui, Deus levou cativo, vocês se lembram, quando Deus levou cativo Israel para a Babilônia? Edom foi junto, só que Deus reergueu israel, e Edom não foi reerguido.

Uma curiosidade: Herodes é da descendência de Edom e Jesus é da descendência de Jacó. Sempre houve briga entre esses dois povos, a questão é que Deus decretou, Deus não levantaria Edom. Tanto que hoje não existe mais nenhuma descendência de Edom no mundo. Provavelmente em 70 d.C., o general Tito destruiu com todos eles, porque eles queriam viver uma vida alheia a Deus, não existe isso, não existe.

Você vai fugir de Deus pra onde? Você vai fugir de Deus pra qual planeta? Você vai fazer o quê? Se até para brigar com Deus você precisa pensar, usar o cérebro que Deus te deu. Respirar, comer, do mundo que Deus te deu. Você não discute com o dono da casa.

Que ganha de Deus? Quem vence Deus? Quem pode ganhar numa queda de braço de Deus? Nem o Lincoln Falcão consegue – e quem pegou a referência aí e entendeu, é feliz. Só há uma saída pra quem está diante do juízo de Deus, fugir do juízo de Deus para a misericórdia de Deus. Não existe legado piedoso quando existe juízo de Deus. Você não vai conseguir construir um legado ignorando que Deus julga os teus pecados, que Deus julga poderosamente de forma santa, linda, bela. Nosso grande problema é que a nossa geração quer ter razão, e diante de Jesus nos precisamos ceder.

Então, para encerrar, eu quero mostrar para vocês, pra você ter uma noção introdutória, quais são as dez grandes ideias do livro de Malaquias:

Então, a primeira grande ideia é: o pecado quebra o coração de Deus. Essa é uma verdade levada, no livro de Malaquias, de maneira muito forte. Se cremos que Deus é um ser pessoal, como vamos tratar Deus como capacho, como bicho, como alguém impessoal. Tudo que você faz, que eu faço acaba repercutindo na pessoa de Deus, se somos seus filhos.

A segunda grande ideia é: quando você não se vê como muito ruim, você não pode ver Deus como muito bom. Se você acha que você é um pouquinho bom, se você não entende que você é totalmente depravado, você não vai ver Deus como totalmente gracioso, bondoso.

Terceira: a disciplina é uma forma de Deus demonstrar o Seu amor por nós. Quanto Deus leva para o cativeiro babilônico Israel e Edom, ao levar Israel, Deus está disciplinando Israel, mas ao levar Edom, Deus está julgando Edom, é diferente.

Quarta grande ideia: o pecado é uma rodovia de duas pistas. Você tem que pensar nisso. A primeira pista, a primeira rua, a primeira Freeway do pecado, é a rebelião. Malaquias mostra isso muito forte. Os caras estão se casando com gente não cristã, estão casando pessoas que não são da mesma fé. Isso é uma rebelião contra Deus, isso é uma rebelião. Só que não tem só essa rebelião, tem a segunda pista, que é a pista da religião. Malaquias mostra isso de forma muito poderosa pra gente, por quê? Por que os caras são religiosos em Malaquias. Uns estão casando com não cristãos e outros não estão fazendo, isso mais eles estão levando a coisa em “banho Maria”. Eles não doam generosamente, eles são gananciosos, eles não servem de todo coração, eles são preguiçosos, eles não estão pensando nos outros, eles estão apenas pensando em si mesmos, ou seja, uns estão se rebelando contra Deus e outros estão buscando uma forma de servir a Deus fazendo o mínimo possível. “Eu vou fazer o mínimo possível, eu quero só fazer o meu dever de casa e ir pra casa no final do dia”. Meu, eu quero só ir na Igreja e pregar um sermãozinho meia boca lá e vou pra casa. Eu não quero me envolver, eu vou lá cantar umas musiquinhas lá, e depois eu vou pra casa. Eu vou bater meu ponto e vou embora”. Eles estão fazendo o mínimo possível.

Quem você é aqui essa manhã? Alguém que está em rebelião contra Deus? Ou alguém que está fazendo o mínimo possível. Você canta as músicas, mas você realmente não está cantando com o coração. Você doa, mas você não é generoso. Você serve, mas não é sinceramente, você possui uma indiferença.

Quinta grande ideia: Deus não falhou com você, ele não deve nada! Deus não deve nada pra você, você precisa ir pra casa pensando nisso: Deus não lhe deve nada.

Sexta grande ideia: Quando somos ingratos pelo que Deus fez, não estamos dispostos a fazer o que Deus nos ordena a fazer. Ingratos não fazem nada, ingratos não servem, ingratos não estão cuidando uns dos outros, amando, servindo. Ingratos não fazem nada.

Sétimo: Deus espera que mudemos nossas atitudes mesmo que Ele não altere as nossas circunstâncias. Você não está no comando, você precisa entender isso. O que Deus lhe deu? O que Deus fez para você? Ou o que Deus não fez e que você acha que Ele deveria ter feito? Você acha que Deus tem a obrigação de te dar um filho? Você acha que Deus tem que dar um casamento pra você? Você acha que Deus tem obrigação de dar saúde para você? Você acha que Deus tem obrigação disso?

Oitavo: Quando você é ingrato pela vida que tem, você precisa considerar honestamente a vida que deveria ter. Lembre-se disso.

Nono: Ainda não estamos lá. O fim é incrível, o céu vai ser algo incrível. Nós ainda não chegamos no céu. Vai ser fantástico, vai ser demais, vai ser tudo, menos chato. Chato é a tua avó. Chato é a série que tu assiste na Netflix, ninguém quer ver, ninguém quer falar com você sobre a tua série chata. Agora, o céu não vai ser, mas ainda não chegamos lá.

Décimo: Nosso Pai é maior do que sentimos e somos piores do que achamos. Você precisa entender que Deus nosso Pai é maior, extremamente maior do que o nosso sentimento, do que tudo aquilo que podemos sentir. O amor de Deus é maior do que o que você sente. Se Deus está dizendo, no v. 2, “eu sempre vos amei”, nós devemos dormir com essa palavra e confiar nisso. A tua percepção foi afetada pelo pecado, a Palavra de Deus não.

Eu encerro dizendo que é pecado viver sem pensar no futuro, é um pecado de egoísmo, é um pecado terrível e Deus odeia pessoas egoístas, Deus abomina, Deus tem pavor do egoísmo.

A boa notícia aqui essa manhã é Jesus Cristo!

Jesus Cristo veio ao mundo não pensando só nEle, escute isso. A própria criação, Deus não precisava ter criado você, você só dá trabalho. É igual a um filho, o que um filho acrescenta a não ser cocô, entendeu? Você só comia e cagava, e teus pais ficavam desesperados pra te manter vivo, porque é isso que se faz com uma criança. A família fica desesperada pra manter ela viva, porque qualquer coisa pode matar a criança. E teu pai, mesmo assim, tá lá, do teu lado. Tu foi cuidado. Tu não merecia nada, e ainda teve um prato de comida e tua mãe te deu a teta para mamar ainda, tu era feliz lá. Deus cuidou de ti do mesmo jeito, Deus nos cuidou do mesmo jeito, mas nós agimos de forma egoísta.

Mas Jesus Cristo veio ao mundo, morreu pelos nossos pecados em uma cruz e ressuscitou ao terceiro dia. Ele está vivo e oferece perdão de forma gratuita, você não precisa pagar para receber perdão, você não precisa pagar para receber uma graça de Deus. Nenhuma graça de Deus é obtida por dinheiro, pela prata, por nada, você não compra nada de Deus. Nada de Deus está à venda, é tudo de forma gratuita. Deus nos chama pra viver uma vida e construirmos um legado.

Jesus viveu uma vida da forma mais bondosa e generosa possível. Ele não somente nos criou, mas veio a esse mundo nos resgatar, nos comprar do pecado, que nós merecíamos morrer afundados nele. Jesus vem a esse mundo nos perdoa, nos redime, nos ama, nos limpa e deixa um legado que é a Sua Igreja. Que o Senhor Deus nos ajude a começar a pensar no dia de amanhã, nos nossos filhos, netos, bisnetos. Por que tudo isso vai depender desse primeiro elo. Você lembra do elo da corrente? Você precisa ser esse elo forte.

Que Deus nos abençoe, vamos ficar de pé, gente?

[Oração]

Pai nós te adoramos, nós te agradecemos pela Tua Palavra, porque o senhor Deus, no dia do Senhor, no domingo, dia do Senhor, Jesus ressuscitou. O Senhor nos congrega, nos faz ouvir o teu Evangelho. Não nos deixa arruinar o nosso legado, não nos deixa, Senhor, virar as costas para o Senhor.

Que possamos valorizar o Teu legado, valorizar tudo o que o Senhor tem feito por nós e por nosso intermédio. No bondoso nome de Jesus oramos, confiamos, cremos que o Senhor Deus fará, obrigado por tudo Senhor.

Não permita que o nosso egoísmo, que a nossa vaidade, que o nosso individualismo venha arruinar a obra que o Senhor Deus vem fazendo em nossas vidas. Que possamos deixar um legado para a próxima geração. Que possamos não pensar somente em nós, mas pensar em nossas esposas, as mulheres pensar nos seus maridos, e os solteiros pensar no legado que estão deixando como exemplo para os mais jovens, para aqueles que os rodeiam. Em nome de Jesus, que o Teu nome seja engrandecido não somente na nossa vida individual, mas nessa corrente de fé que estamos participando. Que Tua Igreja triunfe, para a glória do nome do Senhor.

Oro em nome de Jesus, no poder do Espírito para a glória de Deus Pai. Amém.

Pastor Jackson Jaques

5 de novembro de 2017