POR TRÁS DAS CORTINAS

(Respostas para as perguntas mais comuns sobre a Vintage180)

“Vintage” hoje em dia é mais do que apenas uma palavra, é um conceito que designa tudo o que é retrô. Esse termo vem de uma palavra inglesa para designar antigo, e 180 é o grau da conversão, ou seja, conversão no modelo antigo ou bíblico.
Porque fé não tem cor. Porque fachadas pretas são as menos prováveis de serem pichadas. Porque o preto é a cor que mais esconde as imperfeições da parede. E porque é legal.
Porque não queremos que ninguém perca a atenção com a movimentação da chegada de pessoas, idas ao banheiro, etc. Porque queremos que as pessoas estejam focadas no assunto do culto. E porque a luz mais baixa deixa um clima mais intimista e aconchegante.
Porque somos uma Igreja Missional e queremos que os membros vivam em Missão. Mais cultos durante a semana obrigariam os membros a viverem menos tempo com seus familiares e amigos, o que atrapalharia a Missão para onde Jesus os enviou.
Catecismo é o ensino da catequese. Termo esse derivado de um verbo grego que significa “instruir a viva voz” (At 18.25; Rm 2.18; 1Co 14.19; Gl 6.6). Ao lermos o catecismo no culto estamos instruindo à viva voz o povo de Deus..
A música da Vintage180 é alta*, quase sempre em rock and roll, e sempre sobre Jesus. Mas, mais do que apenas entretenimento, nossa música faz parte do modo como preparamos nossos corações e mentes para ouvir a palavra e responder a essa palavra. Além disso, como parte de nossa adoração, nós ceamos e ofertamos para darmos suporte à obra de Deus na Vintage180. Em suma, a atmosfera é casual, reflexiva e aberta a todos. *Há tampões para seu ouvido no fundo da Igreja caso você precise deles.
A Bíblia nos aconselha a cantar “Salmos, hinos e canções espirituais” (Ef 5.19; Cl 3.16) e nos diz, repetidamente, que cantemos canções novas para o Senhor (por ex.: Sl 33.3; 40.3; 144.9; 149.1; Is 42.10; Ap 5.9; 14.3).Deus, o nosso criador, nos fez a sua imagem e semelhança, então é importante que sejamos criativos. Por isso, na Vintage180, gostamos de fazer músicas baseadas nos Salmos ou em outras partes das Escrituras, nas quais colocamos a melodia. Também cantamos antigos hinos com novos arranjos e também músicas que nossos próprios músicos compuseram, inspirados por seu amor pelo Senhor. Por causa dos recursos que Deus tem dado a nossa igreja, nas áreas de composição e criação musical, temos sido abençoados com os talentos e criatividade, pelos quais somos gratos a Deus e aos nossos artistas.
Na Vintage180 nós amamos Jesus, e por o amarmos tanto não queremos nos distrair do sermão. Encorajamos nossos membros que utilizem essa pausa caso precisem tomar água ou ir ao banheiro para que durante o sermão não tenhamos movimentação alguma.
Porque não temos os melhores pregadores do mundo, então não queremos ninguém dormindo no meio do sermão.
Nós pregamos Jesus! Embora isso possa significar que você aprenderá algumas coisas sobre como ser uma pessoa melhor, como ter um casamento melhor ou como ter uma vida melhor. Esse não é realmente o ponto dos nossos sermões. A verdade é que sem Jesus nada importa. É por intermédio de Jesus que podemos ser uma pessoa melhor. Somente Jesus pode fazer um casamento melhor. E a verdadeira realização só é encontrada em Jesus. Isso significa que ensinamos a partir da Bíblia, porque a Bíblia é toda sobre Jesus. Muitas vezes passaremos por livros inteiros da Bíblia, verso a verso, para mostrar o que toda a Bíblia ensina e como isso se relaciona com Jesus. Os sermões são longos. Cerca de uma hora ou mais, cada um. No entanto, as pessoas continuam vindo. Por que nós fazemos isso? Porque a Bíblia nos diz que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus, a Bíblia. Então, queremos pregar tudo o que pudermos. Todos os nossos sermões estão online gratuitamente em várias mídias para que o máximo de pessoas ouçam sobre Jesus.
Na Vintage180 tudo é sobre Jesus e a única maneira de conhecer Jesus é entender o que a Bíblia diz sobre Ele, o que também inclui o que Ele disse sobre si mesmo. Jesus é Deus Encarnado. Por intermédio de Jesus temos acesso ao nosso Deus Triuno. Jesus é o Deus que veio até nós! A criação, a Bíblia e nossas vidas existem para proclamar Jesus! É tudo sobre Jesus
A melhor maneira de cumprirmos a grande comissão de Jesus (Mt 28.18-20) é através da plantação de novas Igrejas. Consideramos uma Igreja em plantação quando sua estrutura básica ainda está em formação, como liderança, quantidade de membros que possibilitem sua autonomia e a plantação de novas Igrejas. Esse período demora em média de 3 a 6 anos..
Uma vez por semana os membros da Vintage180 se reúnem nas casas uns dos outros para uma reunião diferente dos cultos dominicais. Chamamos de Grupos de Conexão. Essas reuniões são o ambiente saudável para o exercício dos dons espirituais, tirar dúvidas sobre a Escritura, orar uns pelos outros e desenvolver amizades. Entendemos que nesse ambiente caseiro, o Espírito Santo nos levará ao compromisso e hospitalidade com o próximo através do convívio e do compartilhar. Isso pode ser uma poderosa expressão de vida do Corpo de Cristo em meio à atual sociedade individualista e materialista.
Como também tratamos de assuntos pessoais dos membros, entendemos que não é o melhor ambiente para visitantes. O GC é um ambiente privado apenas para membros da Vintage180.
Se você deseja ter um compromisso mais profundo com a Vintage180, recomendamos que você se torne um membro. Siga as etapas listadas aqui para iniciar o processo:
a) CONECTE-SE — Participe dos cultos dominicais, envolva-se na vida diária da Igreja. Sirva na Missão de Deus.

b) ACREDITE — Os membros da Vintage180 são obrigados a professar a fé cristã em Jesus como Deus e Salvador.

c) APRENDA — Inscreva-se para a Catequese Vintage. Nesses encontros queremos ajudá-lo a compreender plenamente quem somos como igreja, o que acreditamos e como trabalhamos. Também é uma ótima oportunidade para conhecer outros irmãos e os líderes da Igreja. Este processo é fundamental para tomar a decisão de tornar-se ou não membro da Vintage180.

d) COMPROMETA-SE — Os membros da Vintage180 compartilham seucompromisso com a igreja, concordando com nossa aliança de membros e vivendo alegremente em comunidade, servindo a igreja e doando fielmente seu TEMPO, TALENTOS e FINANÇAS.

e) CONVERSE — O último passo para se tornar membro é um encontro com um presbítero ou outro obreiro para uma entrevista final. Esta é uma oportunidade para afirmar o seu compromisso e fazer qualquer pergunta antes de ser confirmado como membro.

Na Vintage180, levamos a alegria muito a sério. A alegria vem de Deus (Sl 16.11) e nos faz ficar fortes (Ne 8.10). As pessoas que são íntimas com Deus são cheias de alegria, e essa alegria as capacita a passarem pelas lutas da vida sorrindo para os dias que virão, como a mulher sábia de Provérbios 31.25. Vemos nas escrituras que Sara riu diante da idéia da gravidez em idade avançada (Gn 18.13-15), mas Deus foi quem riu por último, porque Abraão e Sara chamaram seu filho de Isaque, que quer dizer “riso” (Gn 21.1-6). Também vemos que existe um momento certo para o riso (Ec 3.4) e que algumas vezes a melhor coisa a fazer é continuar sorrindo através de nossas lágrimas (Pv 14.13). Também vemos os profetas, e até mesmo Jesus usando de ironia e sarcasmo para convencer as pessoas do pecado e para mostrar o quanto o pecado é uma tolice (por ex.: Is 44.12-20; Mt 19.24; 23.24). E também vemos que até Deus ri do malvado, que em sua loucura lhe desobedece para sua própria perdição (Sl 2.4; 37.13; 59.8). Em suma, achamos que as pessoas estão inclinadas a se levarem a sério demais, enquanto a Deus e a seus próprios pecados tratam com imensa superficialidade. Por isso na Vintage180 usamos de ironia e sarcasmo para aprendermos a rir de nós mesmos e a rir com Deus, porque as pessoas são malucas e isso é um ótimo tema para fazermos uma piada.
Na igreja primitiva a comunhão, também chamada de Ceia do Senhor, era acompanhada de uma introspecção sincera e de arrependimento dos próprios pecados (1Co 11.17-34). Participamos da comunhão todos os domingos desde o nosso primeiro culto. Entendemos que é melhor ter um culto centrado no evangelho da morte, sepultamento e ressurreição de Jesus por nossos pecados como ponto central em nossa igreja, para garantir que toda semana as pessoas sejam compelidas ao arrependimento do pecado e à fé em Jesus. Além de entendermos que a comunhão (ceia) é um meio de Graça. Logo, queremos participar da comunhão o maior número de vezes
No Velho Testamento, quando o povo de Deus se reunia, era comum as crianças estarem incluídas também (Js 8.35; 2Cr 20.13; 31.16; Es 8.21; Ne 8.2; 12.43). Ainda no Velho Testamento vemos que as crianças são ordenadas a louvar a Deus (Sl 8.2; 148.12). Vemos o próprio Jesus, ainda criança, adorando no templo e aprendendo com os adultos no Novo Testamento (Lc 2.46). Mais tarde, vemos crianças adorando a Jesus (Mt 21.15-16) e sendo recebidas por ele, apesar de alguns adultos que achavam que elas provocavam uma distração do culto e que deviam ser mantidas a distância (Mt 19.13-15), ao mesmo tempo em que Jesus dizia que temos muito que aprender com as crianças (Mt 18.1-6). Quando as crianças são muito pequenas é certamente difícil para elas ficarem sentadas quietas durante o culto na igreja, por isso temos um programa paralelo ao culto para as crianças pequenas. Esse programa inclui oração, ensino bíblico e adoração apropriados para elas. Nosso alvo, entretanto, é que as crianças venham adorar junto com a congregação o mais cedo possível, e deixamos que os pais decidam quando é o momento de fazê-lo, embora todas as crianças sejam incentivadas a se juntarem aos adultos depois do sermão, para a comunhão e o louvor, sem nos importarmos se são muito novas ou não.
O tema das línguas é muito controverso e tem provocado divisões em muitas igrejas, mas graças a Deus, esse nunca foi o caso na Vintage180. O nosso presbitério não acha que o dom de línguas tenha cessado, mas também cremos que quase sempre não é exercido da maneira bíblica. A Vintage180 tem líderes e membros que falam, assim como outros líderes e membros que não falam. O que Paulo proíbe em relação às línguas, na verdade, é falar em línguas em voz alta sem interpretação durante o culto na igreja, porque os visitantes e os não crentes não poderiam entender o que está sendo dito, e pensariam que somos malucos, e neste caso, estariam mais bem servidos recebendo um ensino bíblico convincente para poderem ser salvos (1Co 14:12-25).
O conceito de ordenação foi uma criação do homem e não tem base nas Escrituras. Portanto, embora o conceito de ordenação não seja necessariamente mal, também não é uma necessidade. O mais próximo que podemos chegar, dentro do Novo Testamento, do conceito de ordenação é a passagem em que os presbíteros de uma igreja impõem as mãos sobre os novos líderes e os comissionam para a liderança da igreja (1Tm 4:14; 5:22). Na Vintage180, comissionamos os novos líderes para o ministério através da pública imposição de mãos com uma oração sobre eles. E sim, somos todos ordenados.
Numa época de incríveis pecados entre pastores, alguns demolidores para a reputação do cristianismo devido a sua natureza pública, esta questão é de vital importância. Na Vintage180, respondemos a esta pergunta com uma resposta de níveis múltiplos: Primeiro, um presbítero deve temer a Deus e dar contas a Ele. Se um cristão qualquer, inclusive um pastor, não teme a Deus nem anda muito próximo de Jesus pelo poder do Espírito Santo, simplesmente, não há nada que possa ser feito para mantê-lo longe do pecado. Segundo, um presbítero deve dar contas a sua esposa, se ele é casado. Ninguém conhece melhor o estado de um homem do que a sua esposa, por isso a mulher do presbítero deve ser uma mulher exemplar, que ajude o marido conversando honesta e respeitosamente com ele sobre o estado de seu coração e de sua vida. Terceiro, um presbítero deve prestar contas aos outros presbíteros. Na Vintage180, os presbíteros têm uma íntima relação de prestação de contas entre eles. Nossas esposas também têm intimidade umas com as outras e liberdade para falar abertamente sobre o que se passa em seus casamentos e lares entre si, de modo que é difícil esconder algum pecado que esteja afligindo nosso presbitério. Quarto, nossos presbíteros mantêm relacionamentos locais com outras boas igrejas. Além disso, nossos presbíteros têm um relacionamento fraterno com outros pastores que fazem parte da rede Remadores do Sul. Falamos e nos reunimos regularmente com muitos desses pastores, os quais amamos e com os quais temos uma relação aberta de prestação de contas. Felizmente, nunca tivemos que disciplinar nenhum presbítero por nenhum pecado, porque a intimidade de nossos relacionamentos traz os problemas em potencial à superfície antes que se manifestem. Se um dia algum presbítero vier a pecar gravemente, nós imediatamente o disciplinaremos de acordo com as diretivas bíblicas (1Tm 5:19-21).
A Bíblia ensina que, definitivamente, quem seleciona os presbíteros na igreja local é o Espírito Santo (Atos 20.28). Além disso, os presbíteros não deveriam servir por causa de uma compulsão externa (1Pe 5.2). Razão pela qual na Vintage180 não aceitamos indicações para presbítero da congregação. Ao invés disso, a Bíblia ensina que uma pessoa deve se apresentar para presbítero por causa de uma compulsão interna dada por Deus (1Tm 3.1; 1Pe 5.2). Na prática, isto significa que, se alguém deseja ser presbítero na Vintage180, primeiro deve ser um membro fiel da igreja. Então, falará com um dos presbíteros sobre seu desejo e o presbítero avaliará se o candidato está qualificado de acordo com os critérios bíblicos. Se o presbítero concorda que o homem esteja qualificado para ser presbítero, sua indicação é levada ao presbitério, que por sua vez deve concordar unanimemente que o candidato tenha um chamado de Deus e esteja qualificado para começar um longo período de testes (1Tm 3.10; 5.22). Este processo leva pelo menos um ano e exige que o candidato em potencial estude para ser capaz de defender por escrito suas convicções doutrinárias pessoais e daárea de ministério que gostaria de liderar. (E pelo fato de estarmos em plantação, damos prioridade a áreas que ainda não existem na Igreja); que passe por uma investigação sobre o estado de sua família e outras coisas. Depois de concluído este longo processo, o homem apenas é considerado como candidato oficialmente se todos os presbíteros concordarem que ele deva ser presbítero. Então ele é apresentado como candidato a presbítero diante da igreja e, se alguém tiver alguma objeção quanto a sua qualificação, cancelamos sua indicação se for verificado que a objeção tem base. Depois que o candidato passa por todo este longo processo e é aprovado pelos presbíteros, diáconos e membros da igreja, então ele é trazido com sua família diante da igreja e os presbíteros impõem as mãos e oram por ele para comissioná-lo como presbítero. Esses homens, em geral, ainda não são remunerados para liderar na igreja.
Os diáconos são indicados pelos presbíteros e diáconos de acordo com os critérios bíblicos e com as necessidades da igreja. O processo para se tornar um diácono é similar ao de presbítero, mas leva menos tempo para se completar e está aberto para mulheres qualificadas, assim como a homens.
Não vemos nenhum precedente nas Escrituras para colocar uma limitação de tempo aos nossos líderes (por ex.: um mandato de três anos). Além disso, o mandato causa uma rotatividade, o que leva a descontinuidade na tomada de decisões e ao descuido dos projetos, porque as pessoas e as necessidades da igreja não desaparecem num passe de mágica a cada três anos, enquanto é feita a troca de líderes. Em nossa igreja, esperamos que os presbíteros dediquem toda a sua vida ao serviço e só deixem de servir a igreja caso sejam chamados por Deus para servir em outro lugar, que eles mesmos se desqualifiquem por alguma razão, ou que estejam simplesmente impedidos de realizar suas obrigações devido a questões de saúde. Entretanto é verdade que permitimos que os presbíteros tirem períodos sabáticos, quando necessário. Alguns diáconos são escolhidos para tarefas específicas e, assim uma vez que a tarefa esteja concluída, eles não continuam como diáconos, a menos que tenham recebido outra tarefa. Outros diáconos servem até que certas circunstâncias da vida como casamento, nascimento de um filho ou uma mudança exija que eles deixem de ser diáconos. E existem outros diáconos que supervisionam áreas do ministério que não podem ser descontinuadas, e que por isso permanecerão em suas posições indefinidamente.
Na Vintage180 nós usamos o modelo de voto designado. Todos os presbíteros votam, mas apenas em assuntos selecionados como vitais para a saúde da Igreja como um todo. Todos os outros assuntos são votados pelas equipes de presbíteros que estiverem supervisionando suas áreas particulares de ministério. Por exemplo, no departamento de adoração, de aconselhamento bíblico, de Grupos de Conexão, de administração, de plantação de Igrejas, e assim por diante, as equipes de presbíteros tomam decisões dentro das áreas de ministério que lideram. Essas equipes menores de presbíteros se reúnem à parte da diretoria geral para votarem em suas áreas de ministério sem que seja preciso envolver todos os presbíteros. Os únicos assuntos que requerem o voto de todos os presbíteros são os seguintes:• Teologia — a adoção de uma nova doutrina ou alteração de uma doutrina existente.
• Propriedade — a compra, a venda ou a locação de uma propriedade.

• Presbitério — a aprovação de um presbítero ou disciplina de um colega de presbitério.

• Orçamento — aprovação do orçamento geral (não de cada item).

• Outros — o presbítero pode fazer qualquer outra proposição por escrito para ser apresentada à assembléia, contanto que tenha sido aprovada pelo presbítero moderador.

Todas as decisões ministeriais da linha de frente são tomadas pelas equipes menores de presbíteros e não são trazidas à grande assembléia de presbíteros, a menos que sejam propostas e aprovadas pelo presbítero moderador, que funciona como um segurança, evitando que os presbíteros introduzam assuntos nas pautas das reuniões sem aprovação prévia. As equipes menores de presbíteros também são montadas de acordo com seus dons espirituais e experiências no caso de projetos específicos.
Nós incentivamos aqueles que, por alguma razão, discordem da nossa liderança, de uma maneira significativa, a examinarem suas convicções doutrinárias em relação ao governo da igreja, comparando-as com as Escrituras, porque estamos convencidos de que nossa igreja esteja operando de acordo com os princípios bíblicos. Se, depois de estudar seriamente, a pessoa não puder se submeter a nossa liderança e atuar dentro das nossas estruturas eclesiásticas, nós a encorajamos a procurar uma igreja da qual possa fazer parte em sã consciência. No caso de suas diferenças serem relativamente pequenas, ou se a pessoa respeita nossos líderes e estruturas eclesiásticas sem trazer divisão, então ela continua sendo bem vinda e poderá permanecer como membro na Vintage180.